CLICK!
CLICK!
CLICK!
CLICK!
CLICK!
CLICK!
CLICK!
CLICK!


CLICK!
CLICK!
:: ROBERTA BORSARI - POROROCA 2011 ::




Report de Roberta Borsari

Aventura na Pororoca do Araguari


Roberta Borsari / Pororoca Wave in Araguari River by Fabio Paradise

Roberta Borsari

É mais uma aventura de Roberta Borsari, NEWS TEAM kayaksurf.net, e uma das grandes amigas do nosso site. No final do ano passado, relatámos aqui a viagem ao Hawaii onde Bebeta surfou nos locais mais míticos do paraíso do surf. Desta vez, a paulista não precisou de sair do Brasil para viver mais uma aventura. Munida do seu surfkayak, rumou ao nordeste e desafiou o “Hawaii das pororocas” no rio Araguari. Enviou-nos tantas (e tão boas) fotos que, no final do relato, está um slide-show de luxo!! Passemos agora ao relato de Bebeta…

Aventura na Pororoca do Araguari

A idéia de fazer uma expedição na Pororoca veio como uma volta ao passado, como na época em que trabalhava como instrutora de rafting, praticava canoagem de águas brancas e fazia viagens e expedições em rios do Brasil e no exterior. A Pororoca é um fenômeno de marés mundialmente conhecido, que forma uma onda que percorre grande extensão. Ela acontece no Brasil, França, China, Indonésia e outros locais, mas o fenômeno do rio Araguari é conhecido como o “Hawaii das pororocas” – pelo tamanho da onda e a formação de sua parede.

A viagem começa no estado do Amapá, mais precisamente na capital do estado, Macapá. Foi lá que a equipe se reuniu pela primeira vez. O líder da expedição foi Serginho Laus, recordista mundial de tempo de surf na Pororoca, Jorge Pacelli, big rider de Jaws e conceituado shaper de sup no Brasil, Saulo Ramos, tarimbado surfista do litoral norte paulista, o também big rider australiano Skeed Darm, que estava já estava em sua terceira pororoca e eu com o objetivo de ser a primeira mulher no mundo a surfar uma pororoca. Completando o time tivemos o fotógrafo de surf das melhores revistas do Brasil Fabio Paradise, Toninho Jr Javali captando todas as imagens, Marcio, piloto do Jet e experiente na operação do surf no rio e o Capitão Antonio comandando o barco “Menino do Rio” com sua tripulação.

PATROCÍNIO:










APOIOS:











Amapá State, city of Macapá - where all the adventure began


O objetivo era fazer o feito do caiaque, colocar pela primeira vez um número variado de equipamentos na grande onda (sup, caiaque, prancha, longboard e alaya) e fazer as remadas de SUP na selva. Carregamos tudo e partimos para uma viagem de 18h rio à dentro, até chegarmos ao ponto onde ficaríamos embarcados. A expedição a pororoca não é uma operação de logística simples ou barata. Em nossa viagem, além da embarcação base com cerca de 25m, também havia uma voadeira (tipo de lancha), barco, 2 jets, e um cálculo médio de gasto de 1.700 litros de gasolina e 600 de disel. Isto para uma viagem de 8 dias contanto 6 dias de surf de onda.


À espera da Pororoca…

O fenômeno ocorre a cada 12h, portanto o surf acontecia pela manhã e a noite sentíamos o barco balançando pela segunda passagem da onda. No primeiro dia acordamos às 4:00h da manhã e a cada dia que se passava o horário da maré mudava ficando um pouco mais tarde. A rotina era um rápido café da manhã que incluía o açaí (fruta energética típica da Amazônia), equipar os barcos e partir em busca da onda através de 50 minutos navegando até o ponto de espera. A onda tem um arrasto de 40km e todo o processo dura cerca de 2:30h, sendo possível surfar seções de 20, 30 minutos ou mais. Ela é irregular e depende muito da formação do fundo e outros fatores para a construção da parede, que não é constante e em certos pontos fecha completamente se tornando apenas um grande espumão – como no trecho conhecido como “Guela da Morte”.



The wave is not easy... sometimes is just closes all


Para surfar a onda de caiaque fizemos uma verdadeira operação. Um dos riscos é ser engolido pela espuma, virar e ficar preso nela sendo arrastado por uma onda sem fim. Uma natação complicada, sendo um grande caldo e correndo o risco de perder o equipamento. Fizemos alguns testes para determinar a melhor maneira de entrar na onda, tow in foi a primeira delas, mas a necessidade do Jet fazer muitas curvas fechadas não foi a melhor. A solução foi colocar um sled a amarrar uma corda curta e foi desta maneira que seguimos. Ainda sim era um pouco tenso, pois o Jet joga muita água e balança bastante a parte de trás. Além disso todos os testes eram feitos na onda, sem muita chance para erros. Vivenciamos momentos muito especais, sendo abençoados pela mãe natureza. Isto por que fomos a única expedição no rio, surfando o fenômeno que foi considerado um dos maiores da história e com excelente formação (sem ventos) da grande onda, que atingiu 2me até mais nos momentos mais críticos.




Tow in was the best way to catch the wave...


Para surfar a onda de caiaque fizemos uma verdadeira operação. Um dos riscos é ser engolido pela espuma, virar e ficar preso nela sendo arrastado por uma onda sem fim. Uma natação complicada, sendo um grande caldo e correndo o risco de perder o equipamento. Fizemos alguns testes para determinar a melhor maneira de entrar na onda, tow in foi a primeira delas, mas a necessidade do Jet fazer muitas curvas fechadas não foi a melhor. A solução foi colocar um sled a amarrar uma corda curta e foi desta maneira que seguimos. Ainda sim era um pouco tenso, pois o Jet joga muita água e balança bastante a parte de trás. Além disso todos os testes eram feitos na onda, sem muita chance para erros. Vivenciamos momentos muito especais, sendo abençoados pela mãe natureza. Isto por que fomos a única expedição no rio, surfando o fenômeno que foi considerado um dos maiores da história e com excelente formação (sem ventos) da grande onda, que atingiu 2me até mais nos momentos mais críticos.

"É inexplicável a sensação de surfar uma onda perfeita por 20 minutos ou mais"

A conquista da onda acontece a cada dia, mas os 2 primeiros são realmente bem adrenalizantes! Até você se familiarizar com a mecânica da onda que é completamente diferente do mar e passar a interagir de maneira mais natural leva um tempo, e aí cada um tem o seu. Eu fui comedida fazendo o que estava ao meu alcance e contando bastante com a equipe que foi muito parceira e me deu todo apoio. Consegui surfar todas as seções vivendo experiências das mais variadas, não passei por nenhum grande perrengue, só os que fazem parte da aventura. É inexplicável a sensação de surfar uma onda perfeita por 20 minutos ou mais, trabalhar a onda até seus braços se cansarem e aí deixar ela te levar apenas curtindo o arrasto até que você comece a manobrar novamente. As vezes se vc não entrar na primeira onda e pegar a segunda,com uma formação parece que você está em um ambiente espacial, surfando ondulações que como num half sem fim. E se você perder a onda por algum motivo, o jet te resgata e coloca nela novamente.



Perfect waves...


Uma curiosidade desta onda é que sua formação é bem diferente da onda do mar. Nesta da base até a metade ela te joga pra frente e da metade até o lip ela te empurra para trás...é bem louco!.A onda termina bem pequenininha entrando na selva quando as quilhas já arrastam no chão. Você termina o surf no meio da selva com os búfalos te observando e pensando...o que é que esses caras estão fazendo aqui?






"Durante a viagem pude avistar: cobras, jacarés, macacos, boto cor de rosa, peixe boi e outros"

As tardes eram de descanso, passeios na selva para ter contato com os ribeirinhos, curtição vendo as fotos do dia e as remadas de Sup. A comunidade local vive praticamente isolada, tirando sua sobrevivência da selva, através da caça e da pesca, sem médicos na região a medicina é toda natural através de ervas e conhecimento que passam de geração para geração. Nossa casa era o barco, mas ninguém nadava no rio. A quantidade de bichos é muito grande e parte deles são perigosos e peçonhentos. Durante a viagem pude avistar: cobras, jacarés, macacos, boto cor de rosa, peixe boi e outros.



In addition to the flora, the fauna is also fantastic in the Amazon



Uma experiência inesquecível...

Você pode viajar o mundo e experimentar os mais diversos tipos de onda, mas a experiência de surfar uma onda de rio, perfeita durante 20 ou 30 minutos, com certeza é diferente de tudo que já se fez no oceano. Muitos foram os aprendizados nesta surftrip na selva e os próximos canoístas que forem surfar a pororoca do rio Araguari terão muita informação específica para caiaque e poderão curtir uma das melhores e mais especiais ondas do planeta, além de viver de perto o dia-a-dia da selva amazônica – o que é um capítulo a parte nesta história, precisaríamos de outra matéria...




After surfing, the end of afternoons were magic...




TODAS AS PHOTOS / ALL THE PHOTOS






Trabalho publicado em 30 de Junho de 2011

Texto - Roberta Borsari

Fotos - Roberta Borsari / Fabio Paradise






VISITA A SECÇÃO MEGA!





MAIS INFORMAÇÕES NO SITE OFICIAL DA GATH



MAIS INFORMAÇÕES NO SITE OFICIAL DA ROBSON





HOME
ORIGINS OF SURFKAYAK
GEAR
SIT-IN MODELS
SIT-ON-TOP MODELS
WAVE-SKI SECTION
GREAT INTERVIEWS!
PHOTOS
VIDEOS

HISTORY OF THE CHAMPIONSHIPS
MOVES
SURFKAYAKING RULES
CALENDAR OF THE CONTESTS
FULL REPORTS
NATIONAL RANKING
LINKS!
MORE LINKS

SURF ETIQUETTE
NEWS TEAM
COURSES AND FORMATION
GREAT PICS!
CREDITS
FORUM
NEWS SECTION
WEATHER & WAVES



Copyright 2006 Todos os direitos reservados - Luis Pedro Abreu

kayaksurf@gmail.com