CLICK!

CLICK!

CLICK!

CLICK!

CLICK!

CLICK!

CLICK!

:: STEVE FISHER ::







Select from Portuguese to English, French, Spanish, etc





STEVE FISHER

PERFIL DE UM CAMPEÃO

Greymouth na Nova Zelândia, Costa Oeste, Março 2004. Steve Fisher saca uma das boas!


Stephen Grant Fisher, 28 anos, sul-africano, é hoje, reconhecidamente, um dos maiores craques mundiais da canoagem. Cresceu numa quinta em Estcourt, KwaZulu Natal, com o rio Bushman ao fundo das terras onde vivia. Com um rio tão perto, foi logo aos seis anos de idade que Steve, através de um amigo de seu pai que era na altura campeão sul-africano de slalom, teve os primeiros contactos com kayaks. O vício ficou-lhe para toda a vida. O homem que hoje corre o mundo de kayak, que protagoniza vídeos e filmes de canoagem, que preenche capas de revistas desportivas um pouco por todo o mundo, dispensou um bocado do seu tempo para falar, exclusivamente e pela primeira vez, para Portugal. E como se não bastasse, brindou o kayaksurf.net com uma sessão exclusiva de fotos retiradas en Fevereiro deste ano na Nova Zelândia. Basta ver para nos apercebermos da qualidade técnica de todo o staff que acompanha Steve...

www.stevefisher.net

Cedo se reconheceu Steve Fisher como um predestinado para a canoagem tal era a facilidade com que manobrava qualquer kayak. Logo aos 13, iniciou-se em competições de várias disciplinas da canoagem: venceu várias maratonas de 100 milhas em África do Sul (águas lisas) e na Holanda, alcançou a primeira posição em várias provas de sprint. Entretanto, sagrava-se campeão sul-africano de slalom, conquistava na Nova Zelândia a medalha de bronze nos Campeonatos Mundiais de Freestyle. Por terras africanas, desbravou os principais rios e, ainda hoje, quando o questionam sobre o mítico Zambezi, Steve fala deste rio com um especial carinho - foi lá que aprendeu e experimentou grande parte do que sabe fazer em cima de um kayak. Pelo meio, ainda teve tempo para frequentar a Universidade de Pietermaritzburg e, aos fins-de-semana, desbravar as águas do rio Tugela… o mais próximo da Universidade. Mas a África do Sul estava a ficar pequena demais para Steve. Em 1997, com 23 anos, Steve viu abrir-se a porta da internacionalização da sua já reconhecida carreira como canoísta. O canadiano Corran Adison, outro craque mundial da canoagem, encontrava-se naquele ano a disputar uma prova na África do Sul e ficou impressionado com Steve Fisher. Daí ao convite para emigrar para os EUA foi um curto passo. Corran aliciou Steve para fazer parte da sua equipa que anualmente corre os EUA a competir o circuito nacional de rodeo. Já em solo americano e com o alto patrocínio de uma reconhecida marca canadiana de kayaks – a Riot - Steve depressa começou a dar nas vistas. A forma destemida como encarava qualquer queda de água – pudera… tendo um rio como o Zambezi como aprendizagem – impressionava júris e os muitos canoístas que acompanhavam (e acompanham) a sua carreira. Como se não bastasse, Steve ainda dava mais espectáculo graças às muitas manobras que hoje são reconhecidas como de sua autoria, entre elas, o Aerial Flip Turn (ou Side Kick), o Air Screw (Barrel roll/Californian roll), o Fisher King (Limerick), o Party Trick entre outras. Quando Steve compete, já todos sabem que, até depois de uma portentosa queda de água, ele lá arranja maneira de brilhar com mais duas ou três manobras da sua autoria. Aliás, é comum ver-se este craque a meter-se em percursos verdadeiramente diabólicos – considerados de perigosidade extrema pelos júris das provas em que entra e, por isso, não seleccionados – enquanto os outros competidores fazem essas ligações por terra com o kayak às costas. Entretanto, pelo meio das suas conquistas, Steve alcançava o primeiro lugar no Challenge de Águas Bravas do Chile e numa prova canadiana de Grandes Quedas. Nada alheios às suas performances, os patrocinadores iam avolumando os seus apoios oficiais. Em 2000, a remar em casa, ganha o Challenge de África do Sul – prova que o próprio Steve considera como uma das mais duras da sua carreira. Foi também nesse ano que alcança o primeiro lugar na reputada prova das Grandes Quedas de Água de Washington. Nesse ano, correu 40 estados (!!) norte americanos a bordo do seu Riot entre dezenas de provas. Hoje, com 28 anos, Steve Fisher é reconhecidamente um dos melhores canoístas do mundo. É atleta profissional com uma lista de reputados patrocinadores e além disso, vai obtendo dividendos das vendas dos seus próprios vídeos e dvd’s de águas bravas – Wicked Liquid I e II – em que Steve e amigos surgem a atacar rios como o Zambezi, o Nilo Branco no Uganda e vários rios da África do Sul e Swazilândia. Com uma vida preenchida por grandes quedas de água e portentosas ondas, Steve continua bem consciente dos limites da canoagem. É quase paradoxal ler, segundo as suas próprias palavras, um conselho que ele habitualmente deixa… “Joguem pelo seguro, não queiram arriscar acima dos vossos limites só porque viram outros a fazê-lo” .



Juntamente com Steve, andaram pela N.Zelândia os craques Jared Mehan, Ben Brown e Greg Thomas numa surf trip.


www.kayaksurf.net - Depois desta recheada introdução, falemos um pouco mais sobre kayaksurf… recordas-te da primeira vez que surfaste uma onda de kayak?

Steve Fisher – Foi por volta dos 10 anos de idade. Recordo-me que peguei num kayak de slalom e levei-o para o mar. Desde essa altura que conheço a sensação de surfar uma onda e, apesar de não ser uma das minhas modalidades mais vinculadas, admito que sempre gostei e não perco uma oportunidade de fazer kayaksurf. Crescer em África do Sul também ajudou graças às grandes ondas que sempre proporcionam bons dias de surf…

Achas que a tua experiência de águas bravas (e não só) te ajudou no kayak surf?

Não, não acho. Penso que ambas as modalidades se complementam mas, nem uma, nem outra, são essenciais para a prática de cada uma. O kayak surf é excelente – em locais mais calmos - para principiantes na esquimotagem e outras manobras da canoagem. Ajuda a ganhar confiança para entrar em certos rios.

Riot Turbo - O eleito de Steve Fisher

De todos os kayaks que já experimentaste – e não foram poucos – qual o teu favorito para as ondas?

Tudo depende do que procuras. Não sou propriamente um perito em kayaks para surf (são decididamente mais rápidos nas ondas), mas continuo a gostar muito do kayak que uso no rio. Permite-me fazer rio e boas manobras em ondas. Obviamente que não atinge a velocidade de outros mais adequados mas eu, habitualmente, não uso esse tipo de kayaks para surf. Gosto de um kayak que me proporcione um bom equilíbrio entre velocidade e salto o que me leva ao meu favorito – o Riot Turbo.

Como está o kayak surf em África do Sul?

A canoagem, de uma maneira geral, é um fenómeno menor em África do Sul. Em contra partida, os wave-skis são muito populares e acredito até que se encontrem grandes waveskiers por aqui…

E a nível mundial… como vês o futuro do kayak surf?

As fotos (exclusivas) que te enviei foram tiradas na Nova Zelândia. Por lá, todos os canoístas gostam de fazer ondas e, aparentemente, o kayak surf é muito popular. Eu passo a maioria do meu tempo nos Estados Unidos e parece-me que, também por lá, o kayak surf é muito popular…. dá-me é a sensação que vigora uma velha escola de kayak surfers à mistura com muita “política” em torno da organização.

Já alguma vez participaste numa prova de kayak surf?

Até agora, só competi num prova de kayak surf e fiquei em segundo lugar. Foi muito divertido mas, como sabes, invisto mais nas competições de águas bravas e challengers. Se, na minha área, se colocasse a hipótese de investir mais no kayak surf, certamente que apostava igualmente para vencer.

Estás a par dos regulamentos dos mundiais de kayaksurf?

Julgo não estar muito por dentro desse assunto para te dar uma opinião mais fundamentada mas sei que há muita polémica em torno desse assunto. Conheço alguns kayaksurfers que não alinham na competição por causa disso. Tudo o que posso dizer é que, qualquer que seja o desporto, as suas regras devem ter sempre em conta o futuro e não o passado de forma a promover a sua evolução e não a regressão. Assim, o desporto sairá sempre a ganhar.



Steve´s Wipeout !

Qual foi o melhor local onde já surfaste com o teu kayak?

Sempre tive dias muito bons em vários spots sul africanos desde muito jovem. Mais recentemente, foram estes dias incríveis que passei em Raglin e Greymouth na Nova Zelândia (fotos que ilustram esta entrevista tiradas em Março deste ano). Outro dos meus spots favoritos, é o de Pacific City nos EUA.

Sabemos que te lanças em quedas de água com mais de 20 metros mas, no mar, qual foi o maior susto que apanhaste?

Uma vez, tive que efectuar um longo percurso a nadar (perdi o kayak) nas águas geladas de Cape Town (África do Sul). Estava um dia frio, muito encoberto e eu andava no mar sozinho com o meu kayak. Para além desse, acho que não apanhei assim grandes sustos no mar…

Já surfaste em Portugal?

Não, mas adorava. Também já sei que têm por aí grandes canoístas de águas bravas. Um dia, irei até aí de certeza!

Qual é o teu plano de treino para te manteres em forma?

Remo todo o ano! Quando não posso, corro ou ando de bicicleta para ir mantendo a forma.

Como descreves a onda perfeita para surfar com um kayak?

Dois metros e meio, ligeiramente cavada e a quebrar muito lentamente…

Agora, deixa-nos alguns conselhos para quem queira iniciar-se no kayaksurf…

Comecem por ondas pequenas e simpáticas sempre acompanhados por alguém com mais experiência. As que quebram na areia próximas da praia são melhores e evitem zonas com rochas, pois podem atrapalhar se tiverem que nadar.

E para os canoístas em geral, que últimas palavras deixas…?

Saiam, vão até lá e aprendam praticando.



www.stevefisher.net




Steve Fisher, Jared Mehan, Ben Brown e Greg Thomas no final de um dia memorável de ondas


VEJA STEVE FISHER EM ACÇÃO A EXECUTAR UMA DAS MANOBRAS DE SUA AUTORIA - O HELIX -

FOR VIDEO CLICK HERE



Trabalho publicado em 20 de Julho de 2004

Texto - Luis Pedro Abreu

Fotos - RIOT PRO TEAM






VISITA A SECÇÃO MEGA!





MAIS INFORMAÇÕES NO SITE OFICIAL DA GATH



MAIS INFORMAÇÕES NO SITE OFICIAL DA ROBSON





HOME
ORIGINS OF SURFKAYAK
GEAR
SIT-IN MODELS
SIT-ON-TOP MODELS
WAVE-SKI SECTION
GREAT INTERVIEWS!
PHOTOS
VIDEOS

HISTORY OF THE CHAMPIONSHIPS
MOVES
SURFKAYAKING RULES
CALENDAR OF THE CONTESTS
FULL REPORTS
NATIONAL RANKING
LINKS!
MORE LINKS

SURF ETIQUETTE
NEWS TEAM
COURSES AND FORMATION
GREAT PICS!
CREDITS
FORUM
NEWS SECTION
WEATHER & WAVES



Copyright 2006 Todos os direitos reservados - Luis Pedro Abreu

kayaksurf@gmail.com